6 de jan de 2010

linhas do tempo



.
quanto mais eu cresço, mais contigo me pareço.
inda hoje me peguei questionando as mesmas coisas que só você questionava. coisas que só o tempo e você (minha matriarca) foram capazes de me ensinar. cecília meireles que o diga.
"eu não tinha este rosto de hoje, assim calmo, assim triste, assim magro, nem estes olhos tão vazios, nem o lábio amargo. eu não tinha estas mãos sem força, tão paradas e frias e mortas; eu não tinha este coração que nem se mostra. eu não dei por esta mudança,tão simples, tão certa, tão fácil: em que espelho ficou perdida a minha face?" (poema "retrato")

Um comentário:

Luciana disse...

Se parece muito com ela mesmo.