29 de mar de 2016

amplitude


E esse é meu saldo final de hoje. Uma tela de Deus que me remete a uma dicotomia angustiosa de amplitude. Essa mesma tela que me traduz a vastidão do vazio e a rasa consistência desse mundo jovem, que tem suas atenções voltadas pra tudo aquilo que pra si é material descartável mas pseudo-lucrativo, também me traz a lucidez transcendente da imensidão de ar, matéria essencial pra vida e suficiente para a nossa mediocridade. Esta, inclusive, como plana superior frente aos moldes atuais de condição humana. De tanto nos aboletar de futilidades, perdemos a oportunidade de nos esvaziar dos tantos nadas e de nos sentir completos de tudo.

28 de fev de 2016

tá pra nascer um sujeito bom escutador, melhor ainda vedor e péssimo falador nas presenças. bem que eu podia ser poeta, que só quando está sozinho e trancado, ou do lado de cá da tela, consegue se expressar.

7 de nov de 2015

equilíbrio na instabilidade

não rabisco minha vida no molde.
na minha roda não existe o termo, muito menos o meio.
eu me aprumo no gênio volátil das curvas. eu excomungo a bonança.
é certo que em minha biografia há algumas rachaduras dos segundos de loucura de querer constanciar. mas a minha alma se repousa no equilíbrio da instabilidade.

13 de nov de 2014

seu manel



hoje deixo escorregar pelos solos que ele tanto exalta o meu herói das ignorãças. o cabeludinho solitário e de amigos vegetais com quem tanto me identifico... seu manel. 
descansou, virou passarinho.
não ouso sentir-me órfão de poeta. a obra de manoel de barros está eternizada no meu coração.

"escuto o meu rio:
é uma cobra
de água andando
por dentro de meu olho."

25 de set de 2014

29 de dez de 2012

adeuses




num instante sou família. noutro, solidão.
num instante sou pedaço de gente. noutro, gente.
eu sou uma convenção em mim. e fora ou longe dai, nada habita.
que sempre haja atino no pensamento de enxergar essa(A) verdade.
adeuses são cortantes.

foto by sofy sá

5 de fev de 2012

perfil

‎perfil é um fio. 
perfil é o fim do objeto
o horizonte está deitado.
o fim é o que está completo.
perfil é o que está de lado.
o horizonte está distante.
o fim fica em frente.
perfil é o que está rente.
o horizonte fica adiante.
ali onde o céu se dobra.
a água do mar transborda.
o fim é o que não retorna.
perfil é o vazio.
o fim é o que se transforma.
enfim é o fim agora.
perfil é o que encosta.
horizonte é uma crosta
a terra é uma bandeja.
ali onde o mar despeja
perfil é um seio.
o horizonte está no meio.
o fim está perto.
a casa acaba no teto.
o filho acaba no neto.
o fim é um feto.
o horizonte é o fim da terra.
ali onde o céu encerra.
perfil é um rosto.
o sol está posto.

(arnaldo Antunes e nando Reis)

16 de ago de 2011

flor ciana



ora azul queimado de amor,
ora azul molhado de lágrimas
do mar que é azul como nada;
que prima o tudo.
cor primária, principal
primícia de luz
luz de lúcia

azul tranquilo de lu... a ciana
blue de lu que também é azul
alma azul, sangue de rainha
sangue nobre, sangue ciano

pra minha sinhá ana
que também é nome de rainha
que tem sangue nobre e de cor ciana
assim como a flor azul que é minha
...luciana.

poema pra alguém muito especial e que é apaixonada pelo azul: luciana prado.
foto: andre

4 de jul de 2011

realidade superficial


o mundo vive a era da tecnologia. há quem diga que, na verdade, ele sobrevive. é notório o estreitamento das relações pessoais por causa dos meios de comunicação. embora, acompanhado dele venha a liquidez dos relacionamentos.
ferramentas como a internet e os aparelhos celulares são febre no mundo inteiro e passam a ser, para a maioria dos usuários, uma necessidade. é claro que todas essas inovações contribuem e muito para o desenvolvimento global. os celulares, por exemplo, conectam pessoas e empresas, ultrapassando qualquer barreira de tempo e espaço. a informação é rápida e insere o indivíduo no contexto mundial.
essa explosão de tecnologia e informação trouxe a sede incansável pelas suas ferramentas. o que não se tem levado em conta são as consequências negativas que tudo isso traz.
estar próximo ou distante ficou muito confuso. a aproximação virtual fez as pessoas se distanciarem, afetuosamente falando. a praticidade da conexão das redes sociais da internet e das chamadas celulares entorpecem os indivíduos quanto à necessidade atual do ser humano: se humanizar.
a tecnologia e as relações pessoais sólidas bem que poderiam andar juntas.

texto : minha redação no vestibular da uesb

11 de jun de 2011

infinito, enquanto dure



"soneto da fidelidade"
poema: vinicius de moraes
intérprete: camila morgado

feliz dia dos namorados... aos contemplados.
por enquanto, só tô contemplando a falta.

4 de mai de 2011

laço


estou preso num laço.
nele, quanto mais nós, espaço
apertos
abraços
laço tem cor
da cor vermelha
da cor da guerra
da cor do sangue quem um dia me fez terra
na terra.

17 de abr de 2011

dores

é como se meus olhos pudessem ver os territórios da minha alma sendo invadidos pela dor.
sinto dores que há muito não sentia. daquelas que ameaçam o orgulho, a verdade e o plano. dores que desmantelam a lógica, o tempo e a regra.
eu que ergui muros altos, que cerquei de cuidados os limites encantados da emoção. eu que conheço os danos da invasão, o drama e o estrago da rendição.. eu que sou forte, sinto dores. eu que calei o coro dos valentes, silencio diante do sussurro das dores.
eu que inventei a analgia, sinto. eu que entreguei os remédios em troca de vacina, experimento a sina de quem inevitavelmente sente.
sinto dores.
e sentindo entendi que nessa vida não há beleza livre da dor. não há sentido inviolável, nem sentimento invariável. é sentindo que se lembra que é com dores o nascimento, com dores o crescimento. é com dores que se ganha e que se perde. é com dores que se paga. é com dores que se espera.
dor é a herança confusa de quem ainda vive essa vida pequena. é o sintoma da doença. é a sentença da escolha. é algoz e é vigia. em vez de atestar a ausência do bem, é a prova do efeito do mal. sem dor não haveria salvação.

sinto, logo dói.
 
 
texto de cândido gomes.

22 de mar de 2011

esperança



hoje, me senti grande; forte. com a impressão de que nada pode me deter.
não sei exatamente onde estou e nem tenho tanta pressa. agora, não. os medos estão longe.
um consciência limpa de que tudo que eu fiz foi proveitoso. e se não foi, é.
venci meu gigante. um sonho quase impossível.
e nem adianta que palavras não me destruirão.
sei que amanhã e depois e depois e depois... guerras. mas no fim um pouco de paz, que seja.

foto: jaime

21 de mar de 2011

meios

chorando pelos amores e desamores dos amigos...
mas tudo vai ficar bem. cês vão ver.
amanhã cês superam tudo isso de letra!
força, amigos!

8 de mar de 2011

às rosas e rosa


como hoje é um dia mais que especial, quero deixar minha singela homenagem a essas rosas.
sim, porque a rosa é a alma da mulher.
se nunca ouviu a música do pixinguinha, leia e ouça aqui.



tu és, divina e graciosa
estátua majestosa do amor
por Deus esculturada
e formada com ardor
da alma da mais linda flor
de mais ativo olor
que na vida é preferida pelo beija-flor
se Deus me fora tão clemente
aqui nesse ambiente de luz
formada numa tela deslumbrante e bela
teu coração junto ao meu lanceado
pregado e crucificado sobre a rósea cruz
do arfante peito teu

tu és a forma ideal
estátua magistral oh alma perenal
do meu primeiro amor, sublime amor
tu és de Deus a soberana flor
tu és de Deus a criação
que em todo coração sepultas um amor
o riso, a fé, a dor
em sândalos olentes cheios de sabor
em vozes tão dolentes como um sonho em flor
és láctea estrela
és mãe da realeza
és tudo enfim que tem de belo
em todo resplendor da santa natureza

perdão, se ouso confessar-te
eu hei de sempre amar-te
oh flor meu peito não resiste
oh meu Deus o quanto é triste
a incerteza de um amor
que mais me faz penar em esperar
em conduzir-te um dia
ao pé do altar
jurar, aos pés do onipotente
em preces comoventes de dor
e receber a unção da tua gratidão
depois de remir meus desejos
em nuvens de beijos
hei de envolver-te até meu padecer
de todo fenecer

intérprete: patricia marx
composição: pixinguinha e otávio de souza


parabéns, mulheres pelo dia e por fazerem parte (e que presença!) de todos os outros dias de nossas vidas.
um carinho pra minha mãe "rosa" de nascimento e de alma também.

foto: geisa



20 de fev de 2011

probatória...


... minha posição.
os prós das arestas esfriam e esquentam, literalmente.
é o crisol da vida.
sujeitinha que tem um dom pra ourives!
resto cá.

10 de dez de 2010

"cuidado com gente que não tem dúvida. gente que não tem dúvida não é capaz de inovar, de reinventar, não é capaz de fazer de outro modo. gente que não tem dúvida só é capaz de repetir."

mario sergio cortella

29 de nov de 2010

do "avinu malkenu"

nos últimos dias, fissurado pelo álbum "avinu malkenu" de leonardo gonçalves.
de fato, um obra de arte.
o disco é todo em hebraico.
o curioso é que o som é tão envolvente que idioma é o que menos importa.
a música é mesmo uma linguagem universal.
tá aqui uma das melhores. me faz lembrar da "lista de schindler".




o vento das montanhas, claro como o vinho
e o cheiro dos pinheiros
é levado pela brisa do crepúsculo
junto com o som dos sinos.
e no sono profundo da árvore e da pedra,
presa em um sonho,
está a cidade solitária
e no seu coração - um muro.
jerusalém de ouro,
de bronze e de luz
porque não ser eu o violino para todas as tuas canções?
voltamos aos poços de água,
ao mercado e à praça
o shofar chama no monte do templo,
na cidade velha.
e em cavernas nas montanhas
milhares de sóis brilham
descemos novamente ao mar morto
pelo caminho de Jericó.

canção: yerushalayim shel zahav
intérprete: leonardo gonçalves
composição: n. shemer

12 de set de 2010

30 de ago de 2010

hoje eu recebi rosas
















 
não vejo problema algum em um homem receber flores. preconceito... longe de mim!
mas confesso que nunca imaginei que receberia tal presente.
pois bem, hoje eu recebi. e foi bom. bom de um jeito que minhas pernas tremeram. primeiro, claro, vem aquela vergonha por receber flores assim na frente de todo mundo e no local onde você trabalha (meu caso) e depois a emoção de saber que o presente recebido é, na verdade, uma retribuição à uma serenata feita com muito amor e mpb.
as rosas eram amarelas e no cartão dizia que através delas, a remetente queria devolver a paz interior e a demonstração de amizade sincera.
fiquei vaidoso como nunca!
pra completar, recebi ontem uma homenagem de professor (modéstia a parte) nota 10 da escola sabatina. eu não mereço tanto.
alma leve.

"vai ver as rosas. verás que a tua é unica no mundo."

citação: o pequeno príncipe - antoine de saint-exupéry

29 de ago de 2010

a falta tua





















um dos filmes mais lindos que vi em toda minha vida.
"o carteiro e poeta".
de uma delicadeza!
foi vendo o filme que me veio uma "coisinha".

aprecio quando você fica calada.
porque me parece que está ausente. logo, sinto a tua falta.
já é o bastante pra me manter vivo.
morreria se você estivesse por perto e não a tivesse.

8 de ago de 2010

inesgotável

"conte sempre ao senhor acerca de suas necessidades, alegrias, tristezas, cuidados e temores. você não conseguirá sobrecarregá-lo; não o poderá cansar. aquele que conta o cabelos de nossa cabeça não é indiferente  às necessidades de seus filhos. 'porque o senhor é cheio de bondade e de misericórdia.' seu coração amorável se comove com nossas tristezas, e quando falamos delas.
entregue-lhe tudo quanto causa insegurança em você. coisa alguma é muito grande para ele, pois sustenta os mundos e dirige o universo. nada do que, de algum modo, se relacione com a nossa paz é tão insignificante que ele deixe de observar. não há em nossa vida nenhum capítulo demasiado obscuro para que ele não o possa entender; dificuldade alguma por demais complicada para que a possa resolver."
ellen white

citação: livro "caminho a Cristo", pág 98.

2 de ago de 2010

a verdadeira justiça

final de semana agora eu tava numa formatura de um colega.
muita euforia, risos, lágrimas e certeza de dever cumprido. mas o que achei mais interessante (depois de minha amiga luciana ter me chamado a atenção pra ouvir tal coisa) foi um pensamento do professor que presidia aquela solenidade. e deito aqui.
"quem clama por justiça, na realidade, procura a verdade." frei chico
na mosca!